Home  |  Quem Somos  |  Missão/Visão Lojas Associadas  |  Ofertas |  Notícias  |  Vídeos  |  CDVIP  |  Contato
Login:
Senha:

Cartão Reforma vai injetar R$ 87,3 mi no varejo
A primeira fase do programa Cartão Reforma, que atingirá 94 municípios em 12 estados, deve injetar R$ 87,3 milhões no comércio de material d... Leia mais.

Consórcio imobiliário cresce 32,4% com venda de novas cotas
O ano de 2017 surpreendeu de forma positiva diversos segmentos econômicos. No setor de consórcio de imóveis, os resultados do último ano for... Leia mais.

Mão de obra e materiais sobem menos e arrefecem inflação da construção no IGP-10
Tanto os materiais quanto a mão de obra na construção subiram menos em janeiro, arrefecendo a inflação do setor dentro do Índice Geral de Pr... Leia mais.






Caixa reduz teto do crédito imobiliário para imóveis novos e usados


Desde o dia 17 de Agosto, passou a valer o novo teto dos financiamentos imobiliários da Caixa Econômica Federal, que foi reduzido de 90% para 80% em imóveis novos e de 70% para 60% para usados. A alteração que já havia sido anunciada em junho.
As alterações são válidas para empréstimos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), do programa Minha Casa Minha Vida, das linhas Pró-Cotista e Carta de Crédito FGTS (CCFGTS) e do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos (SBPE).
Em nota, a Caixa afirmou que teve como objetivo a "adequação em relação à política de alocação de capital do banco" e complementou que "essa adequação deve impactar menos de 10% dos clientes que procura o banco para realizar operações de financiamento".
Linha Pró-Cotista
A Linha Pró-Cotista recebeu no primeiro semestre de 2017 cerca de R$ 6,1 bilhões pela Caixa para novos empréstimos, porém em julho foi suspensa. Os financiamentos da linha atendem três faixas: até R$ 225 mil, até R$ 500 mil e superiores a R$ 500 mil. A taxa de juros efetiva é de 8,85% ao ano, mas é oferecida uma de 7,85% ao ano a clientes que tenham débito em conta ou conta salário.
A linha contempla empréstimos a pessoas com três anos de trabalho, conta vinculada ao FGTS e não ser proprietários de imóveis no município ou região metropolitana onde moram ou trabalham, ou possuir financiamento no SFH em qualquer parte do País.